Publicado em 9 de Julho de 2012 (última actualização: 18-07-2012)

Apresentados oito novos projectos no COHiTEC.Lisboa@ISCTE-IUL

O Pavilhão do Conhecimento Ciência Viva, em Lisboa, foi palco da Sessão de Encerramento do Programa COHiTEC.Lisboa@ISCTE-IUL 2012, que decorreu no passado dia 5 de Julho. Os 8 projectos apresentados têm aplicações sobretudo na área da saúde.

© COTEC Portugal

 

O Programa COHiTEC é uma acção de formação centrada na avaliação do potencial comercial de tecnologias de elevado potencial de crescimento (high-tech/high-growth) desenvolvidas em instituições de I&D nacionais. Na sessão de encerramento são apresentados os projectos de negócio que resultam do desenvolvimento, ao longo de 4 meses, de ideias de produto baseadas nas tecnologias participantes.

«Somos o único processo “do laboratório ao mercado”. Pegamos em projectos early stage e ajudamo-los a percorrer o caminho até ao mercado», afirmou o Director do Act, Pedro Vilarinho, lembrando que, quando se lida com projectos de alto potencial de crescimento, o processo de chegada ao mercado implica muito tempo. Desde a sua criação em 2004, o Programa COHiTEC já apoiou 106 projectos e esteve na origem de 16 empresas, sendo o primeiro passo num longo percurso. As equipas que depois do COHiTEC pretendam seguir em frente podem candidatar-se a financiamento para a prova de conceito da sua tecnologia (Act to Prove), ao que se segue o apoio na elaboração do Plano de Negócios (Act to Enhance) e a negociação com os investidores (Act to Add Value).

No final da sessão Carlos Oliveira (Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação), Charles Buchanan (FLAD), Daniel Bessa (COTEC Portugal) e Luís Reto (ISCTE-IUL) sublinharam a importância de se continuar a contribuir para impulsionar a inovação tecnológica e construir um ecossistema de empreendedorismo. «O vale da morte está estreitado», observou Daniel Bessa, argumentando que actualmente existem diversos instrumentos de apoio ao empreendedorismo, como por exemplo os fundos ACTec e F-Hitec. Para o Director-Geral da COTEC, a aposta deve ser agora feita no lado dos resultados: mais vendas, negócios, postos de trabalho e exportações.

«O País precisa de mais empreendedorismo», frisou o Secretário de Estado Carlos Oliveira, que acrescentou: «Isto não significa que sejam todos empresários, mas que sejam pessoas viradas para a acção e o fazer acontecer, e que os empreendedores tenham mais impacto na sociedade». Tanto em momentos de boom económico quanto de maior adversidade, ser empreendedor é um desafio difícil, mas crucial para o País. «Temos de deixar de falar de empreendedorismo e passar a fazer, a criar empresas», rematou.

As ideias de 2012
Os projectos apresentados este ano no COHiTEC.Lisboa@ISCTE-IUL foram:

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo