Publicado em 13 de Julho de 2011

Apresentados seis projectos do COHiTEC.Lisboa@ISCTE-IUL

O ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa recebeu no passado dia 7 de Julho a Sessão de Encerramento do Programa COHiTEC.Lisboa@ISCTE-IUL. Medicina, farmácia e ambiente são as áreas dos 6 projectos de negócio apresentados.

© COTEC Portugal

 

O Programa COHiTEC é uma acção de formação destinada a avaliar o potencial comercial de tecnologias desenvolvidas em instituições de I&D nacionais. Participam no COHiTEC equipas multidisciplinares, constituídas por investigadores, estudantes de gestão e executivos, que trabalham durante 4 meses na elaboração de um projecto de negócio para uma ideia de produto gerada a partir da tecnologia participante.

«Fizeram um bom trabalho até aqui, mas a prova de que tiveram sucesso só chegará quando venderem os primeiros produtos», alertou Pedro Vilarinho, Director do Act, dirigindo-se às 12 equipas participantes nesta 8.ª edição do Programa COHiTEC. Frisando que a maioria dos projectos apresentados ainda está «longe do mercado», Pedro Vilarinho instou também as equipas a prosseguirem com o processo de comercialização do Act.

O Act (Acelerador de Comercialização de Tecnologias) é uma iniciativa da COTEC que visa apoiar os promotores de projectos de base tecnológica na criação de empresas de alto potencial de crescimento, com vista a um mercado global. O Programa COHiTEC, destinado à avaliação de tecnologias, é apenas a primeira etapa do Act. Seguem-se o desenvolvimento da prova-de-conceito tecnológica (Act to Prove), a elaboração do plano de negócios (Act to Enhance) e por fim a negociação com os investidores ou licenciadores (Act to Add Value).

As ideias de 2011
Os projectos apresentados este ano no COHiTEC.Lisboa@ISCTE-IUL foram:

O ingrediente-chave para o sucesso
«A COTEC teve um papel fundamental numa alteração de mentalidades: não tentar fazer de excelentes cientistas maus empresários, nem o reverso», considerou Carlos Oliveira, Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, sobre o Programa COHiTEC. «Unir os investigadores, quem faz ciência, com os gestores, quem já teve experiência empresarial, é o ingrediente-chave para o sucesso», acrescentou.

Para o Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, outro ingrediente essencial para o sucesso dos projectos empresariais portugueses é a existência de capital que permita às empresas fazer face aos desafios da globalização.

Nesse sentido, Luís Filipe Costa, Presidente do Conselho Directivo do IAPMEI, referiu que o IAPMEI e a sua capital de risco, a InovCapital, estão «profundamente empenhados no apoio ao empreendedorismo em Portugal», nomeadamente através de «novos fundos de capital de risco que estão neste momento a ser entregues à InovCapital».

Já Clara Braga da Costa, administradora da InovCapital, destacou o Fundo ACTec, destinado à validação tecnológica dos projectos saídos do COHiTEC, bem como de outros projectos que se candidatem à iniciativa Act através do percurso para projectos de médio potencial de crescimento.

Numa sessão que contou ainda com a presença de Carlos Melo Ribeiro, Vogal da Direcção da COTEC, e Luís Reto, Reitor do ISCTE-IUL, a mensagem geral foi de desejo de manutenção da parceria, com Paulo Zagalo e Melo, Director da Área da Cooperação Científica, Tecnológica e Inovação da FLAD, a considerar que o COHiTEC é «acima de tudo um programa que promove uma atitude diferente na nossa sociedade».

Conheça também os projectos apresentados na sessão do Porto

Assista às apresentações dos projectos do COHiTEC 2011

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo