Publicado a 29 de janeiro de 2016

Bosch – Inovação e conectividade impulsionam crescimento

Na semana em que apresentou “contas” preliminares referentes a 2015, ano em que a multinacional registou um recorde de vendas de 70 mil milhões de euros, a Bosch realça o trabalho desenvolvido pelas unidades portuguesas, em particular a unidade de investigação de Aveiro. Portugal conta com mais de 3.500 colaboradores distribuídos pelas quatro unidades em Aveiro, Braga, Lisboa e Ovar e, até 2018, a empresa prevê contratar mais 1.000 colaboradores, incluindo “engenheiros altamente qualificados” dedicados a projetos de I&D nas diferentes localizações nacionais.

© Bosch

 

Segundo o comunicado da Bosch, Portugal está no loop da investigação tecnológica mais avançada. Um bom exemplo é a divisão da Bosch Termotecnologia, em Aveiro, onde se situa o Centro de Competências mundial para o desenvolvimento de soluções de água quente, estando já em construção um segundo Centro de I&D, num investimento de 25 milhões de euros até 2020. Desta unidade em Aveiro saiu recentemente o Sensor Connect, o primeiro esquentador termostático compacto com frente em vidro negro e painel touch, o único com tecnologia de conetividade, uma aplicação que possibilita o seu controlo remoto através de smartphone ou tablet. Foi este, aliás, o vencedor ex-aequo do Prémio Produto Inovação COTEC-NORS 2015.

Em 2015, as vendas do grupo Bosch ultrapassaram pela primeira vez os 70 mil milhões de euros, de acordo com os resultados preliminares. No ano passado, a empresa conseguiu aumentar as receitas em cerca de 10 por cento. Os resultados antes de juros e impostos (EBIT), incluindo efeitos extraordinários, subiram para cerca de 5 mil milhões de euros. Os lucros, corrigidos os efeitos extraordinários, ascenderam a cerca de 4,5 mil milhões de euros.

«Graças à nossa capacidade inovadora, fomos capazes de continuar com êxito a nossa tendência de crescimento num ambiente de negócios desafiador e numa série de mercados estagnados em 2015. Um dos principais motores desta evolução positiva foi o número crescente de soluções para o mundo conectado», afirmou Volkmar Denner, Presidente do Conselho de Administração da Robert Bosch GmbH.

A Bosch está a moldar a transformação digital
A conectividade na internet das coisas está a transformar o negócio da Bosch, nalguns casos na sua própria base. A Bosch é a única empresa no mundo que está ativa nos três níveis da internet das coisas. O Grupo Bosch oferece tecnologias-chave que possibilitam a conectividade, como sensores e software, e está também a desenvolver novos serviços nesta área.

O objetivo estratégico da Bosch é precisamente oferecer soluções para a mobilidade conectada, produção conectada, assim como para sistemas de energia e edifícios conectados. A empresa lançou uma série de novas soluções nesta área em 2015.

«A tecnologia conectada é a chave para os desafios do futuro, como a escassez de recursos e a urbanização», disse Denner. Por exemplo, num edifício inteligente conectado, o consumo de energia pode ser reduzido em até 40 por cento. Até 2020, cerca de 230 milhões ou 15 por cento das habitações em todo o mundo estarão equipadas com soluções de casa inteligente. «Tecnologia conectada e sistemas devem oferecer funcionalidades fáceis e intuitivas ao utilizador», continuou Denner. Por esta razão, o desenvolvimento do sistema Bosch da casa inteligente está focado na experiência do utilizador. Apresentando uma única plataforma, o sistema permite a ligação inteligente de dispositivos como aquecimento, eletrodomésticos, sistemas de entretenimento, iluminação e sistemas de segurança. Todos os dispositivos conectados da casa podem ser geridos através de um smartphone ou tablet com uma única aplicação.

Para 2016, a Bosch estima um crescimento moderado de 2,8 por cento em termos económicos globais.

Saiba mais aqui.

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo