Publicado a 18 de Junho de 2013 (actualizado a 27 de Junho de 2013)

BPI apresenta linha de crédito para PME inovadoras às PME da Rede

Nos dias 17 e 20 de Junho de 2013, o Banco BPI, Associado da COTEC, apresentou às PME das Rede PME Inovação COTEC a sua nova linha de crédito no valor de 60 milhões de euros dirigida a PME inovadoras.

Incluída nas actividades da Rede PME Inovação COTEC, foi no Porto, na Fundação Portugal-África, que decorreu a primeira das duas sessões de apresentação da linha de crédito do BPI para empresas com menos de 500 colaboradores, em particular PME inovadoras ou que desenvolvam actividades de investigação e desenvolvimento (I&D). A segunda sessão decorreu em Lisboa, no dia 19 de Junho, no Hotel Tiara, com a presença de Celeste Hagatong, Administradora do BPI.
Daniel Bessa, Director-Geral da COTEC Portugal, justificou a intervenção da COTEC, que procurou realizar as sessões no âmbito das actividades da Rede, porque considera que a Associação «deve apoiar formas excepcionais de financiamento», tratando-se, a linha de crédito em questão, de uma oferta distinta das que existem no mercado.

Esta linha de crédito resultou do acordo de garantia assinado entre o BPI e o Fundo Europeu de Investimento (FEI), e com ela o banco disponibiliza, desde Abril deste ano, 60 milhões de euros a PME inovadoras, com 50% do risco de crédito coberto pelo FEI, para responder a necessidades de financiamento, quer investimento quer fundo de maneio.

Este instrumento financeiro de partilha de risco, concebido pelo Banco Europeu de Investimento e pela Comunidade Europeia, está inserido nas políticas europeias, e é gerido pelo FEI. Criado muito recentemente, trata-se, neste momento, de uma fase piloto - aplicada em 9 países e 11 instituições financeiras -, antes de o instrumento ser lançado a nível global na Europa.

Na linha de crédito 'BPI/FEI Inovação', de médio e longo prazo, com um limite mínimo de 2 anos e um limite máximo de 7 anos para a operação, o banco transfere para a empresa as vantagens da garantia do FEI, havendo, no entanto, critérios de elegibilidade para as empresas se qualificarem para receber este financiamento: devem tratar-se de PME que sejam consideradas inovadoras.

Para o acesso a esta linha de crédito são consideradas inovadoras, segundo os critérios estabelecidos pelo FEI, as PME que (pelo menos cumpram um dos critérios abaixo):

  • tenham obtido, nos últimos 24 meses, subsídios, empréstimos ou garantias dos programas de apoio à I&D e/ou inovação; 
  • receberam um prémio de inovação nos últimos 24 meses;
  • registaram pelo menos uma patente nos últimos 24 meses; 
  • tenham a sua sede social num parque de ciência e tecnologia e/ou inovação;
  • tenham beneficiado, nos últimos 24 meses, de um crédito fiscal ou isenção de imposto relacionados com investimentos em I&D e/ou inovação; 
  • apresentem despesas/investimentos de I&D e/ou inovação registadas no último ano, equivalentes a pelo menos 20% do crédito;
  • sejam "R&D and innovation driven fast growing companies", ou seja, empresas inovadoras e/ou orientadas para actividades de IDI, com crescimento médio ao ano do número de empregados ou do Volume de Negócios superior a 20%, nos últimos 3 anos, e com 10 ou mais empregados no início do período de observação; 
  • tenham recebido fundos de um fundo de capital de risco focado em inovação, nas áreas da ciência da vida, energias limpas ou tecnologias; 
  • se comprometam a despender nos próximos 24 meses, um montante pelo menos igual a 90% do crédito em despesas/investimentos de IDI; 
  • pretendam usar os fundos para investir na produção ou desenvolvimento de produtos ou processos inovadores e em que existe risco de falha tecnológica ou industrial.

Consulte as agendas destes encontros do Porto e de Lisboa.

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo