COHiTEC.Norte@EPG apresenta cinco novos projectos

A COTEC Portugal realizou no passado dia 7 de Julho a Sessão de Encerramento do Programa COHiTEC no Porto. O evento decorreu na EGP - University of Porto Business School (UPBS), onde este ano foram apresentados cinco projectos.

 

«Há pouco diálogo entre o mundo académico e o mundo empresarial e este é um óptimo exercício de aproximação entre estes dois mundos, com resultados muito interessantes», considerou o Professor Jorge Farinha, membro da Direcção da EGP-UPBS, um dos pólos onde se centra o Programa, lembrando a importância de um programa como o COHiTEC.

O Programa COHiTEC tem por objectivo apoiar a criação de empresas de base tecnológica e com elevado potencial de crescimento a partir do conhecimento gerado nas instituições de ensino superior portuguesas. «Para nós, ‘base tecnológica’ significa que a propriedade intelectual subjacente ao produto/serviço é passível de ser protegida e ‘elevado potencial de crescimento’ implica que o projecto tem como alvo o mercado global», explicou o Professor Pedro Vilarinho, Director do Programa COHiTEC.

Think high tech/high growth
Com o intuito principal de propor novos produtos para novos mercados, com base nas características únicas de uma tecnologia, a fase 1 do COHiTEC é uma acção de formação hands-on com a duração de 4 meses que, seguindo a metodologia TEC da North Carolina State University, junta investigadores com ideias de negócio a estudantes e ex-estudantes de gestão, bem como a executivos, com a finalidade de criar um esboço de plano de negócios para as tecnologias participantes.

O desenvolvimento de planos de negócios suficientemente robustos para apresentação a investidores decorre na fase 2 do Programa COHiTEC. Para cada projecto participante é criada uma “empresa virtual” e os seus promotores contam com seis meses e um fundo de 75 mil euros – financiado pelo IAPMEI e gerido pela COTEC – para validação dos conceitos tecnológicos e de negócio, reduzindo assim o risco de investimento na startup.

«Pela fase 1 já passaram 179 investigadores, 151 estudantes de gestão, 158 tecnologias e foram apresentados 52 projectos de negócio», enumerou o Professor Pedro Vilarinho. Da segunda fase resultaram directamente 2 startups e outras 8, indirectamente. Porém, o importante nesta fase é o valor do investimento conseguido: «Estes projectos atraem grandes valores de investimento, o que demonstra que os investidores vêem grande potencial nos projectos do COHiTEC», frisou o Director do Programa.


As ideias de 2009
Os projectos apresentados este ano no COHiTEC.Norte@EGP foram:

  • CYCLOTEC 
  • Green Crops 
  • Smart Apnea Monitor 
  • Smart Hip 
  • Tartuffo


O caminho dos empreendedores
«Este foi só um pequeno ensaio. As provas de fogo são as que estão adiante e tenho a certeza que pelo menos alguns de vocês irão ousar percorrer o resto do caminho». Foi assim que o Professor Daniel Bessa, Director-Geral da COTEC desafiou os participantes deste ano do COHiTEC a continuarem a percorrer o caminho dos empreendedores.

Também a Dr.ª Clara Braga da Costa, da InovCapital, defendeu que deve ser dada continuidade ao trabalho realizado durante o Programa, afirmando que esta oportunidade acarreta o que considera ser uma enorme responsabilidade. «Vocês devem transmitir o conhecimento que aqui vos foi dado. É preciso que sigam em frente, que valorizem o vosso conhecimento, criando esta ou outra empresa», frisou. A representante do Ministério da Economia e da Inovação sustentou ainda que a investigação só se transforma em valor se servir o mercado e que os investigadores que participam no COHiTEC são «capital de esperança».

 

Por seu lado, o Dr. Fernando Durão, da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, observou que se impõe uma mudança de mentalidade: «A taxa de mortalidade destes projectos é enorme, mas tal não existiria se não houvesse um enorme receio de falhar», salientou.

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo