2.º Encontro da Rede PME Inovação COTEC
Publicado em Dezembro de 2008

“Coopetir” para inovar

O tema das parcerias dominou o 2.º Encontro da Rede PME Inovação COTEC. Os diversos oradores que estiveram no Museu do Oriente, no passado dia 20 de Novembro de 2008, concordaram que, tanto no âmbito da criação de conhecimento como no da internacionalização, as parcerias e a “coopetição” são cruciais para se ser inovador.

«As PME inovadoras enfrentam hoje desafios complexos em termos de competitividade e de crescimento, que passam, em larga medida, pelos eixos da “coopetição”, do financiamento e da internacionalização», afirmou o Dr. Artur Santos Silva, Presidente da Direcção da COTEC, no discurso de abertura do Encontro.

A partilha de experiências de um conjunto de PME inovadoras espanholas serviu, por isso, para uma melhor compreensão dos percursos dessas empresas, reflectindo-se sobre os seus sucessos e dificuldades. «Aprender com a nossa experiência e, neste caso, com a dos outros é condição necessária para que possamos trilhar o nosso caminho com prudência e sucesso, em dias de grande incerteza», lembrou.

Dirigido a quadros das empresas da Rede de PME Inovação e aos Associados da COTEC, este Encontro reuniu prestigiados líderes de empresas globais, bem como representantes de outras Instituições do Sistema Nacional de Inovação, e contou com a apresentação das novas empresas da Rede e a entrega, pelo Senhor Presidente da República, do Prémio PME Inovação COTEC-BPI, com o apoio do jornal Público.

Cooperação: o segredo espanhol

Seja a através da transferência de tecnologia das universidades para o mercado ou da procura de parceiros locais nos seus projectos de internacionalização, as pequenas e médias empresas inovadoras de Espanha estão a apostar claramente no estabelecimento de redes de cooperação fortes.

«A qualidade da ciência/tecnologia/empresa é fundamental para o desenvolvimento de uma economia de ponta. Sem uma boa estruturação deste sistema bem como a cooperação de todas as partes envolvidas – universidades e centros de investigação, centros tecnológicos, empresas; entidades de interface e o sector público –, a nossa sociedade está em desvantagem comparativamente a economias mais inovadoras», defendeu Daniel González de la Rivera, Subdirector-Geral para a Tecnologia, do Ministério de Ciência e Inovação de Espanha.

A inovação assume-se, pois, não só como um elemento de progresso económico e social, mas também como factor de cooperação, dado que é cada vez mais difícil reunir numa única organização todos os recursos intelectuais, materiais e financeiros para desenvolver novos produtos e processos.

Também Francisco Marín Pérez, Administrador-Delegado do Núcleo Poligono Industrial Alcobendas, considerou que a relação de cooperação entre empresas e universidades é condição substantiva para o crescimento de uma empresa, nomeadamente uma empresa tecnológica. «A grande mudança no modelo de crescimento europeu assenta na aposta nas parcerias entre as empresas e as universidades», frisou.

A colaboração pode e deve estender-se ao relacionamento entre empresas. Nomeadamente no que toca aos projectos de internacionalização das PME, estas empresas têm muito a ganhar com a procura de parceiros nos países de destino. «Estas parcerias dão-nos sempre um bom suporte local, com uma resposta muito rápida», sustentou Francisco Marín Pérez, referindo-se à experiência do Núcleo no estrangeiro.

Juan Polvorinos, Director Comercial da AT4 Wireless Madrid, observou, por seu lado, a relevância da presença das PME em fóruns internacionais, onde se criam os padrões. No caso da AT4 Wireless, o segredo passa pela colaboração com os grandes players do mercado. «Ao trabalhar com empresas líderes aprendemos com os seus métodos e sistemas, tendo que respeitar os seus padrões de qualidade», explicou.

«Apesar de as grandes empresas espanholas não serem propriamente facilitadores da entrada das PME nos mercados estrangeiros, servem como modelos de referência», concordou Antonio Jiménez Alamo, Director-Geral da Intelligent Data.

Antonio Rodríguez Palmero, Accionista e Administrador da SOLUTEX, salientou a importância que trabalho, inovação e proactividade têm tido na história desta PME: «São pilares fundamentais», rematou.

As parcerias para a inovação serviram também de mote ao painel que juntou Larry Hirst, Presidente da IBM Europe, e Esko Aho, Vice-Presidente Executivo da Nokia Corporation.

Consulte ainda as intervenções feitas durante o Encerramento do 2.º Encontro da Rede:

Veja os vídeos do 2.º Encontro da Rede PME Inovação COTEC.

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo