2 de novembro de 2016

Da Propriedade à Utilização

A transição para a economia circular implica uma nova mentalidade e o nascimento de um novo tipo de consumidores. E quem são estes novos consumidores? São os utilizadores de produtos e não os seus detentores.

A economia circular irá mudar a forma como consumimos produtos e serviços. Imagine que não precisamos de comprar os bens e produtos que consumimos? Imagine que em vez de os adquirirmos temos acesso a eles através de uma licença de utilização?
 
Está a nascer uma nossa visão sobre o consumo: a circularidade da economia privilegia o acesso e a utilização - e não a propriedade. Passamos a ser apenas utilizadores em vez de proprietários.
O sistema “pay per use” dos contratos associados aos telemóveis, por exemplo, pode ser adaptado a bens standard como máquinas de lavar a roupa, ferramentas e equipamentos tecnológicos. Hoje, já temos empresas a liderar a implementação do modelo que aplica a lógica do serviço aos produtos (“product-as-service model”).
 
Esta viragem permitirá às empresas manterem-se proprietárias dos seus produtos. E, sendo assim, serão as empresas a reparar os produtos, dar-lhes nova utilização ou mesmo refabricá-los.
A economia circular pode assim criar novos mercados que respondam às mudanças nos padrões de consumo que se afastam do conceito de propriedade tradicional, evoluindo no sentido da utilização, reutilização e partilha de produtos.
 
Veja o vídeo The circular economy From Consumer to User:


Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo