Brisa recebe Rede PME Inovação COTEC
Publicado em 20 de Julho de 2010

Dia da Brisa

A Brisa abriu as portas do seu Centro de Coordenação Operacional e recebeu as empresas da Rede PME Inovação COTEC no passado dia 15 de Julho. Foi mais um “Dia da Associada”, um evento que tem como objectivo inspirar, mas também aproveitar oportunidades de cooperação entre PME e grandes empresas.

© Brisa

 

Exclusivo para empresas da Rede PME Inovação, o Dia da Brisa constituiu mais um passo no desenvolvimento de parcerias entre as empresas do círculo COTEC. Neste evento, a Brisa deu a conhecer a realidade da inovação desenvolvida no Grupo, apresentando o Projecto Colombo, a Via Verde e a Rede de Inovação Brisa. Os participantes tiveram também a oportunidade de visitar as instalações da Brisa Inovação e Tecnologia.

Na senda da inovação
Com um know-how acumulado em mais de 20 anos a Brisa, um dos maiores concessionários europeus de auto-estradas, tem a inovação, juntamente com as parcerias, como eixo estratégico. “O grande passo de inovação do Grupo deu-se com a instalação da marca Via Verde em 1991”, observou António Sousa, responsável de operações da Brisa. Este sistema de gestão de pagamento electrónico de serviços fez de Portugal o primeiro país no mundo com portagens electrónicas em toda a rede de auto-estradas.

Hoje, o conceito da Via Verde – uma “inovação com 15 anos de experiência”, nas palavras de Luís Pinheiro, Administrador-Delegado da Via Verde Portugal –, está já estendido a um vasto conjunto de outros serviços como o pagamento de combustível e o controlo de acessos a bairros históricos. Só a aplicação da Via Verde ao pagamento de parques de estacionamento representa, mensalmente, 700 milhões de transacções e 2 milhões de euros de volume de negócio.

É evidente que a tecnologia é um elemento essencial no negócio da Brisa. O ALPR (sistema de reconhecimento automático de matrículas), o freeflow multilane (pórticos sem barreiras) ou a Etoll (máquinas de pagamento automáticas) são provas de que o investimento anual de, pelo menos, um milhão de euros em IDI faz, efectivamente, do percurso traçado pela Brisa um caminho de inovação que tem vindo a transformar Portugal.

Mas este não é um caminho solitário. “O nosso modelo funciona sobre o conceito de uma rede de parceiros, fortemente apoiada em tecnologia e convictamente associada à criação de valor”, explicou Jorge Sales Gomes, Presidente da Comissão Executiva da Brisa Inovação e Tecnologia. O ecossistema de inovação da Brisa junta universidades, centros tecnológicos, fornecedores, startups, financiadores, associações e entidades governamentais.

Este “círculo virtuoso” potencia o intercâmbio de know-how e experiência, bem como a criação de sinergias, com vista à inovação contínua e sustentada. Na perspectiva da Brisa, assegurar a sustentabilidade passa por assumir um papel de catalizador e âncora de inovação, tal como defendeu Jorge Sales Gomes: “As grandes empresas podem (e devem) servir como grandes incubadoras de parcerias de valor acrescentado, numa lógica de partilha de conhecimento”.

Consulte a agenda do evento

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo