Publicado a 22 de Janeiro de 2015

Empresas nacionais inovadoras em 7.º lugar na UE-28 e bem acima da média comunitária

De acordo com os dados divulgados no dia 21 de Janeiro pelo gabinete oficial de estatísticas da UE (Eurostats), o número de empresas que reportaram actividades de inovação em Portugal entre 2010 e 2012 ficou na sétima posição das empresas mais inovadoras da Europa a 28 e acima da média europeia.

Foram os resultados do CIS - Community Innovation Survey 2012 que mostraram que entre 2010 e 2012, nos três anos analisados no inquérito, 54,6% das empresas portuguesas com dez colaboradores ou mais conseguiram inovar e contribuíram para que Portugal figurasse nas estatísticas do Eurostat como o sétimo país mais inovador da União Europeia a 28.

A Alemanha lidera este ranking, com 66,9% de empresas inovadoras a inovar neste período. Seguem-se o Luxemburgo, com 66,1%, a Irlanda, com 58,7% e Itália, com 56,1% de empresas com actividades de inovação entre 2010 e 2012. No extremo oposto, a Roménia (20,7%), a Polónia (23,0%) e a Bulgária (27,4%) são os países com menor percentagem de empresas a inovar. Os dados recolhidos concluíram ainda que as empresas recorrem mais a inovações organizacionais e de marketing em detrimento das de produto ou processo.

Em termos globais, os números mostram que na UE-28, e no período em análise, apenas 48,9% das empresas com 10 ou mais empregados reportaram actividades ligadas à inovação. O valor foi o mais baixo dos últimos seis anos.

Entre 2006 e 2008, 51,5% das empresas indicaram que tinham realizado actividades ligadas à inovação. Nos dois anos seguintes, entre 2008 e 2010, a taxa aumentou para 52,8% (valor mais elevado até agora), mas os dados mais recentes vêm mostrar que a tendência não se manteve.

Os dados relativos a Portugal indicam que o país está alinhado com a tendência europeia. Entre 2006 e 2008, Portugal teve mais empresas a inovar que nos últimos anos analisados (57,8%) e nos três anos seguintes essa taxa aumentou (60,3%), colocando o nosso país na quinta posição do ranking.

Mesmo assim, Portugal está longe dos países onde se registaram as maiores quedas em termos de inovação nas empresas. Aí destacam-se países como a Alemanha, onde a taxa de empresas a inovar caiu cerca de 13 pontos percentuais, como indica a pesquisa do Eurostat.

Os dados mostraram ainda que 41,3% das empresas nacionais recorreram a inovações de produto ou processo e 43,6% a inovações ao nível organizacional e de marketing no período em análise.

Na média comunitária da UE-28, o índice de empresas inovadoras não foi além dos 48,9% em 2010-2012 e, em todos os anos analisados pelo CIS, Portugal conseguiu figurar sempre acima da média dos países da UE.

Para a elaboração deste ranking, o Eurostat contabiliza actividades de inovação ao nível organizacional, de marketing, de produto e de processo.

Mais informações no site do Eurostats ou no comunicado de imprensa apresentado que resume estes resultados.

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo