Publicado a 25 de Junho de 2013

Galp Energia e seis universidades criam Instituto do Petróleo e do Gás

A Galp Energia, em conjunto com seis universidades portuguesas, criou o Instituto do Petróleo e do Gás, uma iniciativa de ligação entre o mundo académico e o das empresas, com o objectivo de desenvolver a investigação e formação nas áreas do petróleo e do gás nos países de língua oficial portuguesa.

© Galp Energia | Banco Digital

 

Ligar o mundo académico e as empresas do sector do petróleo e do gás é a missão do novo Instituto do Petróleo e do Gás (ISPG), que resulta da parceria entre a Galp Energia e as seis universidades fundadoras: a Universidade de Aveiro, a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, o Instituto Superior Técnico, a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, a Universidade do Minho, a Universidade Nova de Lisboa e a Universidade do Porto. O ISPG formará quadros técnicos ligados a esta indústria, ao mesmo tempo que elevará a formação científica na área.

Constituído formalmente a 24 de Maio de 2013, data da assinatura da sua escritura, o ISPG visa promover o desenvolvimento, transmissão e difusão da ciência e tecnologia aplicada às actividades da fileira energética, em especial do petróleo e gás. Tem como objectivo potenciar a competitividade das indústrias de energia através da formação avançada de quadros técnicos e da criação de uma rede de cooperação entre empresas, instituições de ensino superior e outras entidades públicas e privadas de I&D e de inovação industrial. O Instituto já tem verbas garantidas de financiamento de cerca de 110 milhões de euros até 2017.

Dado o perfil global das indústrias em causa, as actividades do ISPG deverão assumir um perfil internacional, não só nos projectos desenvolvidos, como na associação a futuros parceiros. O foco será mais orientado para os países de língua oficial portuguesa. Nesse sentido, o ISPG poderá criar representações permanentes e delegações, e instalar unidades de investigação e formação em qualquer país de língua portuguesa, sobretudo nos países em que as actividades ligadas a esta indústria são mais relevantes, como Angola, Brasil, e Moçambique.

Para cumprir a sua missão, o ISPG criará uma rede departamentalizada de conhecimento em seis áreas de actuação distintas com relevância e impacto na indústria de petróleo e gás, nomeadamente:

  • Prospecção; Exploração e Caracterização de Reservatórios Petrolíferos; 
  • Desenvolvimento, Produção e Gestão Integrada de Campos Petrolíferos; 
  • Refinação, Petroquímica e Distribuição de Produtos Petrolíferos; 
  • Sistemas de Gás e Eletricidade; 
  • Biocombustíveis e Novas Energias;
  • Gestão de Sistemas Sustentáveis de Energia e da I&D e Inovação.

«A ligação entre as comunidades científica e empresarial é primordial para promover a competitividade das empresas pela via da inovação e da evolução tecnológica», destaca a Galp Energia, que enfatiza a sua constante aposta na ligação ao mundo académico. Uma ligação que, segundo refere, se materializa num «significativo número de programas envolvendo as mais prestigiadas instituições académicas do país, ligados às mais diversas áreas de actividade da empresa».

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo