Publicado a 31 de Outubro de 2013

OutSystems e CONVERDE são vencedoras do Prémio Portugal PME

A OutSystems - Software em Rede e a CONVERDE foram duas das vencedoras dos Prémios Portugal PME, que pretende «identificar, reconhecer e premiar as PME que, em cada sector e região, se destacam pela solidez e crescimento, pela inovação, pela criação de emprego e pela capacidade exportadora».

Após 8 meses de trabalhos e de um ciclo de conferências por todo o país foram divulgadas as cinco empresas vencedoras dos Prémios Portugal PME, que segundo os organizadores, «pelo seu percurso e criação de valor (…) se tornarão referência e fontes de inspiração para outras empresas». A grande vencedora foi a OutSystems, Associado da COTEC Portugal e membro da Rede PME Inovação COTEC, a quem foi atribuído o Grande Prémio Portugal PME.

Para além de não premiar empresas conhecidas do grande público o que, nas palavras do Presidente do júri, o economista Alberto Castro, «é quase sempre uma impossibilidade numa era de profunda mediatização», o prémio tem ainda a particularidade de não se cingir às melhores empresas em termos de resultados: «não ignorámos a dimensão quantitativa, mas admitimos outras dimensões que tornam uma empresa ou organização merecedora, como a resiliência e a capacidade de investir na inovação», acrescentou Alberto Castro.

O Prémio terá cada ano um critério de selecção que restringe a escolha a um sector de actividade, fileira ou conjunto de empresas. Este ano a fileira em análise foi a dos recursos endógenos, com o objectivo de premiar actividades com valor acrescentado nacional, que promovam o crescimento sem incrementar importações. Nela se inseriram os sectores da agricultura, florestas e pesca, mas também actividades centradas no turismo, ou que recorrem a competências técnicas ou intelectuais.

OutSystems - Software em Rede, a grande vencedora
Na categoria ‘Grande Prémio Portugal PME’ o júri adoptou critérios quantitativos, como a evolução do volume de negócios, o nível e criação de emprego e a evolução e estrutura de financiamento, que foram ainda complementados com uma análise quantitativa à dinâmica da empresa e à estratégia utilizada, entre outros. A vencedora foi a OutSystems, tecnológica que «resolveu um problema endémico em todo o mundo», segundo o seu CEO, Paulo Rosado, desenvolvendo plataformas de software que permitem construir aplicações inovadoras e diferenciadoras, feitas à medida, que resolvem os problemas específicos das empresas e que são aplicações que estas não conseguem comprar a outros vendedores directamente da “prateleira”.

Eleita em 2003 pela Fortune como uma das seis startups mais promissoras a nível mundial, a OutSystems nasceu da ideia disruptiva de conseguir pôr os sistemas de informação a mudar à velocidade com que o negócio das empresas se altera. A multinacional fundada em 2001 conta com instalações em Atlanta e Silicon Valley (EUA), Utrecht (Holanda), Londres e Singapura, mas os centros de desenvolvimento e engenharia estão localizados em Portugal (Linda-a-Velha e Proença-a-Nova), onde se encontram cerca de 230 colaboradores.

Uma das três empresas líderes neste mercado, a OutSystems tem mais de 350 clientes em 20 sectores de actividade, dispersos por 22 países, como são exemplo grandes empresas portuguesas, bancos do Norte da Europa, ou o exército dos EUA.

As mais de 36 mil plataformas que desde 2008 passaram a ser licenciadas garantem a solidez financeira da empresa, que se estima atinga os 30 milhões de euros de facturação este ano, depois de ter facturado em 2012 cerca de 20 milhões, mais 47% que em 2011, e cujos lucros passaram de 728 mil euros para 2,6 milhões de euros no mesmo período.

CONVERDE, a startup distinguida
Para a atribuição da categoria ‘Prémio Startup’ foram tidas em conta empresas inovadoras, com presença no mercado, preferencialmente, há menos de seis anos. A distinguida foi a startup CONVERDE, empresa de biotecnologia criada com o apoio do Programa COHiTEC da COTEC Portugal. A CONVERDE tem origem em investigação pioneira realizada no Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa, onde foi identificada a proteína multifuncional «BLAD», produzida durante a germinação de uma variedade de tremoço denominada ‘lupinus albus’ e que funciona como substância activa do fungicida biológico, que a startup pretende comercializar.

A descoberta, que teve início em 1991 e à qual se seguiram mais de dez anos de investigação, culminou com a participação do projecto no Programa COHiTEC. Foi no âmbito desta iniciativa que foi estudada a viabilidade comercial do projecto, tendo sido desenvolvido um plano de negócios e seleccionado um grupo de quatro investidores (Grupo Cofina, Promotor SGPS, Change Partners e Fundo F-HiTEC), que tornaram possível a execução do plano de negócios, iniciando-se com a criação da empresa. Com um investimento até à data de 35 milhões de euros, a CONVERDE já tem fábrica no Biocant, em Cantanhede, com capacidade para produzir 2 mil toneladas por ano, e iniciará a venda do seu fungicida biológico – tão eficaz quanto os fungicidas químicos – em 2014.

Para além da OutSystems e da CONVERDE, a iniciativa do Jornal de Negócios e do Correio da Manhã, em parceria com Caixa Geral de Depósitos, EDP, Fiat e Optimus, e com o apoio do Ministério da Economia e do Emprego, distinguiu ainda na cerimónia que decorreu em Lisboa, as seguintes PME distribuídas pelas categorias:

  • Prémio Turnaround: Crialme, empresa que fabrica, exporta e importa confecções, nomeadamente roupa para homem por medida
  • Menções honrosas: Pinhais & CIA, empresa dedicada à produção de conservas de peixe, e Madeira Wine Company, empresa líder de produção e exportação de vinho da Madeira premium

Mais informações aqui.

(fonte: Jornal de Negócios)

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo