Publicado a 28 de setembro de 2015

Programa COHiTEC participa na Sessão de Encerramento do INOV Contacto

O Programa COHiTEC da COTEC foi uma das iniciativas de apoio a projetos de base tecnológica convidada a participar na Sessão de Encerramento do INOV Contacto 2014/15, uma iniciativa da AICEP que promove a realização de estágios internacionais para jovens quadros.

© COTEC Portugal

 

A participação do Programa COHiTEC teve lugar na primeira parte da sessão, na qual foi realizada uma mesa redonda, moderada por Walter Palma da Caixa Capital, e que contou com a presença dos representantes de quatro programas de aceleração de projetos de base tecnológica. Em palco, estiveram Pedro Vilarinho, Diretor do Programa COHiTEC da COTEC, Pedro Rocha Vieira, Presidente da Beta-i, Gonçalo Amorim, Diretor do Building Global Innovators, e Tiago Gomes Cerqueira, Diretor da Startup Braga.

A abertura da mesa redonda destinou-se à apresentação dos diversos programas intervenientes, bem como da Caixa Capital, a sociedade gestora de fundos de capital de risco do Grupo CGD. Recorde-se que a Caixa Capital apoia estes quatro programas, bem como o programa InRes da Carnegie Mellon Portugal, no âmbito da sua estratégia de apoio a projetos de empreendedorismo de base tecnológica em fase inicial.

Desta forma, a audiência, composta pelos participantes na edição 2014/15 do INOV Contacto, pôde ter conhecimento dos quatros programas de apoio a projetos empreendedores, bem como da diferenciação entre estes.

Nomeadamente, e entre outras características, os programas de aceleração distinguem-se pelo tipo de projetos apoiados: o Programa COHiTEC destina-se a projetos nos sectores da biotecnologia, ciências da vida, tecnologias industriais e energias limpas; o Lisbon Challenge da Beta-i apoia projetos web e mobile; o Building Global Innovators cobre os sectores de tecnologias da informação aplicadas à saúde, cidades inteligentes, tecnologias de informação aplicadas ao meio empresarial e smart data e economia do oceano; e a Startup Braga destina-se a projetos a implementar na região de Braga maioritariamente na área das aplicações móveis, estando a expandir-se para tecnologias médicas e nanotecnologia.

No decurso do debate, Gonçalo Amorim destacou que os jovens portugueses constituem «uma geração de transição», que foi «educada para ter emprego para a vida e hoje não há emprego para a vida», pelo que é necessária uma capacidade de adaptação, sendo o empreendedorismo uma via possível.

Também Pedro Vilarinho realçou os tempos difíceis que se vivem a nível mundial, salientando, no entanto, que mesmo em crise existem oportunidades de negócio, cabendo às novas empresas «procurar oportunidades de negócio que possam resistir a estes tempos».

Por sua vez, Pedro Rocha Vieira destacou a importância de programas como o Erasmus e o INOV Contacto na formação de jovens para o empreendedorismo, ao considerar que «ter-se mundo é determinante para perceber que por vezes a realidade que temos não é a realidade que queremos e podemos ser agentes de mudança».

No que diz respeito aos programas de aceleração em concreto, o presidente da Beta-i afirmou que estes «são bons para capacitar pessoas», elencando os diferentes tipos de aceleradores que existem, numa proliferação que se tem verificado nos últimos anos.

Já Tiago Gomes Cerqueira destacou a crescente proximidade entre empresas maduras e programas de aceleração, com um número crescente de «grandes empresas que vão querer ir buscar ideias às startups».
Na segunda parte do evento, teve lugar uma sessão de trabalho na qual foram apresentados os resultados da edição 2014/15 do INOV Contacto (mais de 300 estagiários, colocados em cerca de 220 empresas no estrangeiro), tendo sido partilhados testemunhos e apresentações de vários estagiários, bem sido entregues os certificados de frequência.

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo