Publicado a 18 de Maio de 2014

Projecto da Universidade Nova de imunoterapia para o cancro vence Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra

Uma equipa multidisciplinar da Universidade Nova de Lisboa é a vencedora do Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra 2013, com o projecto científico ‘Anticorpos trifuncionais e tecnologias baseadas em células dendríticas: uma abordagem combinada à imunoterapia para o cancro’.

O projecto da equipa liderada pela investigadora Paula Videira foi o escolhido entre 29 projectos candidatos de vários institutos nacionais e estrangeiros devido ao seu elevado potencial de desenvolvimento e aplicação no tratamento do cancro. A equipa vencedora integra investigadores da Faculdade de Ciências Médicas e da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, do Instituto Português de Oncologia do Porto e do Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

A equipa de Lisboa desenvolveu um anticorpo capaz de reconhecer o antígeno glicosídico, presente em mais de 80% dos carcinomas humanos, incluindo cancro da mama, cancro gástrico, cancro do pâncreas e cancro da bexiga e ausente em células normais. Este antigénio tumoral surge na fase inicial do tumor tornando-o um excelente candidato para atingir as fases iniciais de malignidade e assim para controlar a progressão da doença. O desenvolvimento de anticorpos que simultaneamente atacam as células cancerígenas e são reconhecidos e activam diferentes células do sistema imunitário, eliminando o tumor, traduzem uma nova estratégia de tratamento do cancro, que esteve na base da escolha desta candidatura.

O Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra distingue de dois em dois anos um projecto de investigação inovador na área das Ciências da Saúde que tenha sido realizado total ou parcialmente em instituições portuguesas por investigadores nacionais ou estrangeiros.

O projecto liderado por Paula Videira vai receber um prémio monetário no valor de 20 mil euros para apoiar o desenvolvimento de uma Prova de Conceito que permita demonstrar a viabilidade da sua aplicação. Este apoio poderá traduzir-se num apoio suplementar de 30 mil euros, uma vez provada a sua viabilidade de mercado. De acordo com o Presidente do Júri, Fernando Seabra Santos, Professor Catedrático e ex-Reitor da Universidade de Coimbra, «para a escolha do vencedor foram considerados, entre outros critérios de avaliação, o mérito, a originalidade, a inovação e o elevado interesse para a Sociedade. A qualidade da equipa envolvida, a cooperação em rede e o mérito científico da proposta foram os principais factores diferenciadores», sublinhou.

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo