Publicado a 11 de Julho de 2013

UE e indústria irão investir 22 mil milhões de euros em investigação e inovação

A Comissão Europeia, os Estados-Membros e o sector industrial europeu vão investir mais de 22 mil milhões de euros em inovação, nos próximos sete anos (2014-2020), em sectores que criam empregos altamente qualificados.

A maior parte do investimento total de 22.579 milhões de euros, 17.515 milhões de euros (6.440 milhões do programa europeu Horizonte 2020, 1.200 milhões dos Estados-Membros e 9.875 milhões do sector industrial europeu), será canalizada para as cinco «Iniciativas Tecnológicas Conjuntas» (ITC): parcerias público-privadas na área dos medicamentos inovadores, da aeronáutica, das bioindústrias, das pilhas de combustível e hidrogénio, e da electrónica. Estas ITC estão abertas a um vasto leque de empresas de toda a Europa, incluindo PME, e a todos os tipos de organismos de investigação.

O outro pacote, no valor de 3.464 milhões de euros (1.445 milhões do programa europeu Horizonte 2020, e 2.019 milhões dos Estados-Membros), será investido também em quatro parcerias público-públicas entre a Comissão Europeia e os Estados-Membros da UE: novos tratamentos contra as doenças relacionadas com a pobreza, tecnologias de medição para a competitividade industrial, apoio para as PME de alta tecnologia, bem como soluções para que os idosos e os deficientes vivam em segurança nas suas casas.

Os restantes 1.600 milhões de euros (600 milhões do Horizonte 2020 e 1.000 milhões da Eurocontrol e de outros membros) serão aplicados em investigação e inovação no Sistema europeu de gestão do tráfego aéreo (SESAR).

O Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, considera que «a UE deve continuar a liderar em sectores tecnológicos estratégicos a nível mundial que oferecem empregos de alta qualidade», justificando que «este pacote de investimento em inovação combina financiamento público e privado precisamente com esse objectivo; trata-se de uma demonstração perfeita de como o orçamento da UE está apostado no crescimento.»

Estas parcerias de investigação reforçarão a competitividade da indústria europeia em sectores que já garantem mais de 4 milhões de postos de trabalho. Procurarão também encontrar soluções para os grandes desafios que se colocam à sociedade e aos quais o mercado por si só não dá uma resposta rápida, tais como a redução das emissões de carbono ou o fabrico da próxima geração de antibióticos.

Máire Geoghegan-Quinn, Comissária Europeia responsável pela Investigação, Inovação e Ciência, declarou que «estas iniciativas não só reforçam a nossa economia, como também são um investimento na melhoria da qualidade de vida; o trabalho conjunto permitir-nos-á abordar questões a que nenhuma empresa ou país pode responder isoladamente.»

Mais informação aqui.

Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo