Transforma Talento

Promovido pela COTEC Portugal e pela Fundação Calouste Gulbenkian, em parceria com a everis Portugal, e com o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República, o Estudo Transforma Talento Portugal, apresentado publicamente no 11.º Encontro Nacional de Inovação COTEC no dia 26 de Fevereiro de 2015, pretendeu analisar e diagnosticar a situação de geração e subaproveitamento dos talentos em Portugal, formulando uma proposta de melhoria das condições de produção, de desenvolvimento, de realização máxima e de absorção do talento nacional, a executar tanto pela sociedade civil como pelo poder político.

Estudo Transforma Talento Portugal teve como principais objectivos:

  • Contribuir para o aumento do debate e da consciência sobre a realidade e as oportunidades do Talento em Portugal, partindo da sociedade civil a identificação, aceleração e alargamento das reformas necessárias.
  • Dinamizar a iniciativa sobre a transformação dos talentos produzidos em Portugal e a partilha de visões e propostas colectivas, que uma amostra da sociedade civil em conjunto com especialistas entendem como fundamentais para a transformação do Talento, colocando ênfase na contribuição real do Talento para a competitividade, sustentabilidade, empreendedorismo e inovação do tecido empresarial português.
  • Contribuir para a definição das linhas estratégicas necessárias para o desenvolvimento e realização máxima de cada Talento e para a promoção da diversidade dos mesmos (empresariais, empreendedores, científicos, artísticos, desportivos, entre outros).

Resultado de um exercício de inteligência colectiva, que envolveu a recolha de testemunhos de 6 entidades colectivas, como a ANJE, a APICCAPS, ou a Global Shapers Lisbon, e 48 personalidades de referência, incluindo Alexandre Soares dos Santos, António Melo Pires, António Mexia, António Vitorino, Belmiro de Azevedo, Carlos Melo Ribeiro, Elvira Fortunato, Gabriela Canavilhas, Laurinda Alves, Luís Portela e Nuno Ferraz de Carvalho, entre outros, o estudo aborda o talento de uma forma integrada, desde a sua identificação na família e nas fases iniciais do sistema do ensino, até ao seu desenvolvimento e plena valorização em diversas entidades, com destaque para o sector empresarial.

O processo desenvolvido para a concretização do Estudo permitiu identificar 57 problemas na produção, intermediação e valorização do Talento em Portugal, para a resolução dos quais foram propostas 40 medidas de acção concretas, e dentro destas seleccionadas as 13 consideradas prioritárias. Adicionalmente, o documento apresenta 49 casos de estudo utilizados como exemplo de boas práticas para resolver muitos dos problemas identificados.

As 13 medidas prioritárias para a transformação do Talento em Portugal identificadas pelo Estudo são as seguintes:

  1. Criação de mecanismos para consciencializar e aumentar a participação da família na educação e formação dos jovens; 
  2. Identificação dos talentos dos jovens em idade escolar através dos professores e das escolas; 
  3. Flexibilização do itinerário escolar e enriquecimento do currículo educativo; 
  4. Introdução de mecanismos de aprendizagem inter-relacional e que fomentem o desenvolvimento de soft skills; 
  5. Adaptação dos métodos de ensino para reforço da autonomia, confiança e responsabilização dos alunos; 
  6. Aposta nos mecanismos de formação dos professores com vista à renovação de competências técnicas e adopção de métodos de ensino inovadores; 
  7. Consolidação de uma cultura de meritocracia e rigor nas instituições de Ensino Superior; 
  8. Criação de mecanismos que incentivem uma maior partilha e articulação de conhecimento entre universidades e empresas; 
  9. Desenvolvimento de um mindset empreendedor e criação de know-how sobre como ser empreendedor; 
  10. Criação de mecanismos que incentivem uma maior aproximação entre ciência e sociedade; 
  11. Promoção de uma cultura organizacional orientada à valorização dos talentos; 
  12. Criação de mecanismos de reconhecimento e valorização dos talentos em Portugal; 
  13. Capacitação do posicionamento competitivo das universidades.

Para que este não passe de “mais um estudo” e de forma a se conseguir produzir os resultados tão necessários para o nosso país foi criado o Movimento Transforma Talento Portugal que, também dinamizado pela COTEC Portugal e pela Fundação Calouste Gulbenkian, e com o Alto Patrocínio do Presidente da República, pretende conduzir e assegurar a concretização das treze medidas identificadas para a transformação do Talento em Portugal. Neste sentido, estão a ser identificados agentes chave da sociedade civil que, na qualidade de tomadores das medidas prioritárias para a Transformação do Talento, são chamados a assumir a responsabilidade de coordenar a implementação das soluções e medidas propostas, bem como mobilizar a sociedade civil, como um todo, para uma maior orientação à valorização do Talento em Portugal.

Porque, para que os talentos portugueses consigam valorizar-se e alcançar o seu potencial máximo, a família, os professores, os gestores, as empresas, as instituições públicas e privadas, as universidades e a Administração do Estado devem conjugar esforços e orientar a sua acção para a adopção de medidas concretas que permitam esta transformação, a bem do tão necessário desenvolvimento de Portugal e dos portugueses.

Visite o sítio web da iniciativa Transforma Talento Portugal


Subscreva a nossa newsletter
Preencha corretamente os campos
Pesquisa
Escreva o que pretende procurar
Resultados da pesquisa
Sugerir a um amigo